Artigos

PARA UM MODELO DE BRINQUEDOTECAS PARA A AMÉRICA DO NORTE (arquivo em .pdf 89Kb)
A partir de nossa experiência na orientação à criação e manutenção de brinquedotecas, no acompanhamento de inúmeros espaços lúdicos e na formação na universidade de educadores capazes de brincar e de valorizar o brincar, pretendemos contribuir para o debate em torno de um modelo de brinquedotecas na América Latina.
Através do exame de casos de brinquedotecas analisamos algumas das dificuldades mais freqüentes na implantação e manutenção de brinquedotecas, bem como as características de uma brinquedoteca “suficientemente boa” , propondo valores para o movimento ludotecário, a fim de que as brinquedotecas nos encontrem no futuro.

VIDA E MORTE DO BRINCAR (arquivo em .pdf 138Kb)
Reflete sobre a origem, a evolução, o lugar e o destino do brincar no desenvolvimento humano, sob a perspectiva da psicologia da educação.
Recomenda, com Freud, a reconciliação do educador com sua infância como meio de capacitar-se a “penetrar na alma infantil”, compreendendo, assim, o brincar e assegurando sua principal herança para a vida adulta - a criatividade.

"Escola é lugar de LAN HOUSE?"
FORTUNA, Tânia
2004

É preciso relembrar as funções da escola. Entre elas está a sua proposta socializante, isto é, a da preparação do jovem para o convívio do grupo e em sociedade e a de estar serviço da apropriação, por parte do aluno, da aquisição dos conhecimentos acumulados pela humanidade. A autora propõe uma reflexão sobre a situação de jogo na escola e apresenta seu papel, ora como algo que pode contribuir, ora como algo que pode vir a atrapalhar o cumprimento destas funções. Aqui reside a importância do papel do educador (não só do professor, como também dos demais profissionais da escola, dos pais e de outros familiares), que deve ser capaz de mediar a relação com este mundo dos jogos, provocando a tomada de consciência da experiência.

SIGNIFICADOS DO BRINCAR
AFLALO, Cecília
2004

O texto percorre diferentes percepções sobre o BRINCAR, o que desde a nossa infância conhecemos tão bem. O BRINCAR sensação onde compartilhamos emoções e sentimentos reais, o BRINCAR imitação onde as cenas do mundo adulto se vêem reproduzidas nas brincadeiras das crianças. O BRINCAR submissão, aquele que coloca os participantes frente às regras estritas de um jogo. O BRINCAR liberdade onde é permitido criar, fantasiar, ficar com raiva, rir, chorar, transformar a realidade. E, finalmente o BRINCAR que é o exercício de entrar em contato com a própria vontade para um dia saber escolher e poder decidir.

BRINQUEDOTECA TERAPÊUTICA AYRTON SENNA - Hospital Boldrini - Campinas
Avaliação de Resultados

2003
A Avaliação de Resultados foi iniciada um ano após o início das atividades da Brinquedoteca Terapêutica Ayrton Senna. O estudo, quali-quantitativo foi desenvolvido pela Escola Oficina Lúdica (avaliadores externos) com a participação da equipe da brinquedoteca numa realização do Instituto Ayrton Senna.
Os dados coletados reúnem informações, opiniões, impressões e sentimentos tanto das crianças e jovens em tratamento e seus familiares como, também, de profissionais e voluntários que atuam no hospital. As conclusões apontam, de forma concreta, a Brinquedoteca Terapêutica como importante facilitadora do tratamento e significativa colaboradora do processo de humanização do Hospital Boldrini.

HOSPITAL TAMBÉM É LUGAR DE BRINCAR
Uma contribuição à implantação e avaliação de projetos de Brinquedotecas

AFLALO, Cecília
colaboração ANDRADE, Cyrce

O artigo sintetiza todo o trabalho de elaboração e implantação dos projetos das Brinquedotecas Senninha (GRAAC- Hospital S. Paulo) e Brinquedoteca Ayrton Senna (Hospital Boldrini-Campinas). Enfoca as etapas e a metodologia de trabalho de assesoria da EOL na implantação da BRINQUEDOTECA TERAPÊUTICA que tem como principal proposta, espalhar o Brincar por todo o hospital como forma de promover sentimentos capazes de proporcionar um ambiente acolhedor e resgatar relações inter -pessoais mais humanizadas às crianças e jovens em tratamento hospitalar.

"BRINCADEIRAS TRADICIONAIS DA REGIÃO AMAZÔNICA"
Projeto BIRA

Natalia Viana Rodrigues

"DA EXPERIÊNCIA SENSORIAL À CRIATIVIDADE:"
Dinâmicas

Reimunde Steudel

"Eu sou pobre pobre pobre..."
Raquel Altman

O F I C I N A S
Raquel Altman

"Vamos abrir a porta para brincar?
Pois o jogo pode resgatar o mais humano em nós"

Adriana Friedmann